10 de janeiro de 2019

Crianças, um segundo que pode determinar uma vida toda.

Oi Girls and boys, Vi, escrevendo.. 


Queridas e queridos essa semana no supermercado, observei um cena, que no mínimo nos faz pensar, sobre as prioridades que as pessoas escolhem para sua vida.

Uma família  indo fazer compras, a mulher seguia na frente olhando o celular, a filha mais velha, que devia ter no máximo nove anos, carregava com esforço uma outra criança, que deveria ter um ano, os pés do bebê dava na altura dos joelhos da menina, ele era grande para ela, tanto, que ela carregava com a coluna envergada, para sustentar o peso.
O pai vinha logo atrás, empurrando um carrinho.

Eu entendo que famílias pobres, onde os pais trabalham, ou as vezes só tem mãe, e ela trabalha para sustentar a casa, filhos mais velhos  acabam assumindo responsabilidades de adultos.

Imagens: Pinterest
Não me pareceu esse o caso, já que a mãe seguia distraída no celular, transferindo a responsabilidade dos cuidados de seus filhos, a um dos irmãos.

Nessa mesma semana, uma criança de 3 anos morreu no metrô, ela escapou da mãe, e entrou no túnel, estão investigando para saberem o que de fato aconteceu.

Inúmeras crianças se perdem na praia, ou sofrem acidentes graves, e quando perguntam aos pais como foi, eles dizem, foi em um segundo que virei o rosto...

E é verdade, um segundo que pode ocasionar dores por toda vida.

Portanto, quando se trata de crianças, a prioridade deve ser sempre elas e nunca celular, ou qualquer outra coisa que desvie a atenção.

Vou me despedindo de vocês

Obrigada pelo carinho e Atenção ..
 muitos beijos ..
Meu carinho para vocês:
Tchau,Vi

6 comentários:

  1. triste...
    Li esta semana sobre uma mãe que esqueceu seu bebê ao sol. Ele teve sérias queimaduras, e ela perdeu a guarda da criança por negligência. Detalhe: a mãe tem 15 anos de idade.

    ResponderExcluir
  2. Oi Vi! As fatalidades nem sempre são fatalidades, muita gente sem noção da vida "assumindo" responsabilidade que não é capaz.
    Tenho reparado muito, geralmente mães carregando bebês e falando ao celular, até na rua, em calçadas esburacadas...Sinto até um frio na barriga, mas vá falar algo para ver o que acontece...
    Já dizia um velho conto..."Tudo acaba bem, quando tudo acaba bem" só que nem sempre acaba bem.
    Parece que tudo que acontece no virtual tem mais atenção (será que valor tbm?) que a realidade ao lado, gritando por atenção e zelo.
    Adorei o post, abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Vi! Ando bem assustada com isso. Aqui divulgaram que no fim de semana último, mais de 500 crianças se perderam dos pais no litoral...Aposto no celular, pois as praias são pequenas...
    Beijos, Ana

    ResponderExcluir
  4. Vi, realmente um segundo pode destruir tudo. Eu estou com essa notícia do menino do metrô entalada na minha garganta... Muito triste, mas como uma criança de três anos saiu corrrendo? Eu sei que não devemos julgar, mas eu não consigo entender como essa criança estava solta.Quando o Lucas tinha três anos eu pegava era no pulso dele quando a gente andava de metrô. Os pais andam distraídos, delegando a criação dos filhos, muitas vezes não dando limites. Gostei do post, é um ótimo alerta.

    ResponderExcluir
  5. Que coisa triste essa notícia da criança que morreu no metrô! Se o celular não estiver em jogo será de estranhar... muito bom seu alerta... abração!

    ResponderExcluir

Se você soubesse o quanto nos deixa feliz com suas palavras ,falaria mooooito mais !!!

Se você deixou um comentário e nós ainda não respondemos, não fique chateado, ás vezes demora, mas a gente chega lá !!!
Bjus 1000.

Subir