19 de dezembro de 2019

O perdão do Natal.

Oi Girls and boys, Vi, escrevendo.. 


Queridos e queridas essa semana assisti um vídeo de uma jornalista no programa Roda Viva que perguntou para o historiador, como fazer para perdoar o pai que tinha votado no Bolsonaro, assista o vídeo:



A resposta do Karnal foi ótima, aborda varias questões, que não foram ditas claramente, mas ficaram implícitas na resposta, como
por exemplo, a arrogância de acreditar que se esta sempre com a verdade, com razão.

Deve dar uma tristeza profunda no coração, uma magoa, ser " trocado" (ou descartado) só por pensar diferente.

Imagino que o pai dela já tenha certa idade, e veja nas atitudes da filha em desrespeitar seus pensamentos, suas escolhas, como uma forma de exclui-lo da vida dela, o assunto politico é só uma desculpa para ingratidão.

Se ele tiver só ela de filha, deve pensar, se eu ficar doente, ou quando eu ficar mais velho, o que ela vai fazer comigo, se agora que estou bem, ela me expõe publicamente dessa forma?

Ela mostrou que é egoísta, pois não pensou nos sentimentos do pai, foi ingrata.

Então a resposta para a pergunta dela, como eu faço para perdoar, seja humilde, seja grata, e trate com respeito as pessoas que te cercam, veja eles como iguais, se doe para seus pais, dê atenção e carinho a eles.

Talvez quando seu pai receber carinho e respeito de você, ele deixe de falar do Bolsonaro, e talvez, até pare de votar nele.

Observo também, como as pessoas estão relativizando as coisas, imagino um filho que sofreu um abuso, uma violência física, que foi abandonado, ouvindo essa jornalista falando de perdoar o pai porque ele vota em X ou Y.

Vou me despedindo de vocês

Obrigada pelo carinho e atenção..

muitos beijos..

Meu carinho para vocês :

Tchau,Vi


5 comentários:

  1. Essa história de divisão está muito feia aqui no Brasil! Uma pena! Respeito é preciso e temos que aturar quem não gostamos e esperar acabe logo, mas com respeito aos que dele gostam...beijos FELIZ NATAL! chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Vi! Ainda não assisti esse Roda Viva, mas andei lendo algumas repercussões da fala da escritora Tati Bernardi. Particularmente também acho que é muita prepotência achar que meu perdão se faz necessário para o outro. AS escolhas de A ou B sempre implicarão em resultados para todos, bons para uns e ruins para outros, é parte da democracia, por mais que eu não goste por exemplo que se ignore a urgência climática em prol da economia que favorece uma minoria, há quem apoie e se cale porque gosta do presidente que pensa e quer agir assim.

    Não sei da relação dos envolvidos, mas se houver afeto de fato eles se acertarão, sem perdões de ambas partes. Quando não há afeto envolvido, é muito mais simples, só por um ponto final, qualquer um dos lados.
    Muito boa e oportuna postagem essa reflexão em tempos de encontros festivos.
    Abração!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Pepa. Também votei no Bolsonaro e também tivemos nossas discussões em família por causa disso, pois ficamos divididos, como muitas outras famílias. Mas conseguimos superar...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Boa noite amiga, passando para desejar um feliz natal para vc e toda sua familia com muita paz, saúde e muitas alegrias, bjs https://patriciacharleaux.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. É impossível concordar com tudo e todos. Viver e deixar viver, perdoando a cada dia,antes que a mágoa cresça. Dormir com peso no coração, não faz bem pra ninguém!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir

Se você soubesse o quanto nos deixa feliz com suas palavras ,falaria mooooito mais !!!

Se você deixou um comentário e nós ainda não respondemos, não fique chateado, ás vezes demora, mas a gente chega lá !!!
Bjus 1000.

Subir