sexta-feira, 8 de abril de 2016

Em briga de ... ninguém mete a colher!

Oi girls and boys, Vi, escrevendo ..

Queridas e queridos o título do post é um ditado antigo que a maioria deve conhecer, em briga de marido e mulher ninguém deve meter a colher.

Dia desses uma escrivã de policia explicava que enquanto não aprovaram uma lei que impedia as mulheres que sofrem violência de retirar a queixa o trabalho deles era inútil, era fazer e desfazer a queixa, as vezes em questão de minutos.


Por causa desse comportamento de algumas mulheres é que algumas pessoas se tornam indiferentes a violência contra a mulher.

A mulher reclama com a vizinha, com a manicure, com a família, mas se alguém disser, separa do cafajeste; ela fica com raiva de quem deu o conselho e ainda diz que a pessoa quer destruir o casamento dela.

Por isso que as vezes as pessoas ficam 'assistindo' a violência e depois vão chorar no enterro, queríamos ajudar, mas estávamos de mãos atadas.


Mas não é só entre adultos que existem essa tipo de relação doentia.. 

Professores e pais muitas vezes identificam em seus alunos e filhos comportamentos de submissão e falta de auto-estima e muitas vezes se veem impossibilitados de ajudar.

Crianças e adolescentes tem necessidade de fazer parte de um grupo, e para fazer parte desse grupo, muitas vezes se sujeitam a humilhações, a agressões verbais e físicas, e agir contra seus princípios, contra sua vontade.


E quando o professor ou pais identificam o problema e tentam aconselhar, essas crianças ou adolescentes rechaçam tal conselho com a seguinte ideia, eu sei o que é melhor para mim ou eu sou dono do meu nariz.

E muitas vezes pais e professores são obrigados é deixar esses jovens 'quebrar a cara'.

Acredito que ao identificar tal problema o melhor seja aconselhar a pessoa ou o responsável pelo jovem a procurar ajuda psicológica  ou psiquiátrica.


Devemos acabar com o preconceito que só procura psiquiatra quem é louco.

O corpo humano tem várias reações químicas, e se houver uma falha, a pessoa pode sofrer de vários transtornos, que poderiam ser solucionados com medicação ou outro tratamento.

Nós mulheres somos mais suscetíveis a nos submetermos a esse tipo de violência, e uma das causas são os hormônios que estão no nosso corpo e que tem reações totalmente distintas dos hormônios que estão no corpo do homem.

Vou me despedindo de vocês
Obrigada pelo carinho e Atenção ..

 muitos beijos ..
Meu carinho para vocês:
Foto:Pinterest

Tchau,ViObs: Todas imagens que não tem o link do autor, é porque a imagem já esta tão difundida na internet que é impossível determinar seguramente quem é o autor, para saber onde encontrar a imagem, click com botão direito do mouse na imagem, ao abrir a janela, click em 'pesquisar essa imagem no Google' e aparecera o histórico de todos blogs, sites, e etc onde tem a mesma imagem.





12 comentários:

  1. Certíssima minha querida!
    Meu filho há dois anos tem consultas semanais com psicóloga, que o ajudou muito (e a nós também) a entender mais sobre o que se passava com ele na escola e no convívio com colegas.
    Acredito que temos que ficar atentos e quando não sabemos o que está errado e nem o que fazer é porque a hora chegou em procurar ajuda. Depois de 3 anos sem entender meu filho e ambos sofrendo, há 2 e meio temos ajuda de psicologa, fonoaudiologa e o neuro infantil deu o diagnóstico de um leve problema neural, e tb alguns sintomas de spectro autista. Ele é evolutivo e a cada dia mais inteligente e hoje somos, muito, muito felizes, sabendo lidar com tudo isso. A professora dele todo começo de ano tem reunião com a psicologa e isso é maravilhoso. Digo tudo isso, e achei seu tema importante para todos lerem, pois devemos procurar ajuda sim, quando percebemos algo de errado com filhos, marido ou outra pessoa da família... não podemos nos acomodar!
    Beijos Vi!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  2. É um bom texto e realmente devemos refletir sobre isso. Quanto ao fato de algumas mulheres aceitarem certas coisas, acredito que nem todas fazem apenas por submissão e "amor" ao cafajeste, mas sim, por ter medo do que pode acontecer. Quantas mulheres denunciaram e no fim das contas o bandido ficou solto e voltou para "terminar" o trabalho? Isso é uma triste realidade. Quanto as crianças, realmente é um assunto que deve ser levado muito a sério e os pais, devem sim, procurar ajuda de um profissional. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Vi!!!

    Verdade......as próprias violentadas são culpadas desses processos continuarem.....choram.....reclamam.....vão atrás da Maria da Penha e depois ficam com a penha......rsrsrs.......com pena.........e voltam a se submeterem a esse transtorno.
    Sem falar nas escolas que as crianças e adolescente como vc mesmo disse "para serem aceitos" se submetem a cada situação vergonhosa.
    Enfim o problema todo é a tal psicologia do ensino.......não dar palmadas.......as crianças ficam traumatizadas......ah faça me o favor......a própria palavra de Deus diz....repreendei seu filho com vara.......lógico com seus devidos cuidados.......e com certeza ele crescerá sabendo que não tem que bater na mulher e ela crescerá aprendendo que não deve se submeter a esse tipo de jugo.
    Enfim é o que eu penso a respeito......palmadinhas na "bunda" nunca matou ninguém.......e sim......fizeram grandes homens e mulheres!!!

    ResponderExcluir
  4. Este é um assunto bastante complicado. Diariamente temos notícias de homem proibido por lei de se aproximar da mulher, que não só se aproximam, como também mata.
    Só pra ilustrar, um caso familiar: uma tia minha apanhava constantemente do seu então "marido". Certo dia, ela usou o telefone da casa da minha mãe pra acionar a polícia. Resultado: como a chamada partiu de lá, o carro de polícia parou na porta da minha mãe, e presenciamos quando os policiais perguntaram se minha tia queria registrar ocorrência. O maridão dela a ameaçou (na frente dos policiais, que não reagiram) que se ela registrasse, seria pior pra ela depois. Com medo, ela não levou o caso adiante. Ainda bem que tempos depois, ela procurou outro rumo pra vida dela. A convivência deles era tão violenta, que poderia sim, ter acontecido o pior.

    ResponderExcluir
  5. Ah amiga, assunto complicado esse!
    Conheço uma pessoa, que é a empregada do marido, ela teve quantos filhos ele queria. Não dá a mínima para ela, tem outra pessoa na vida dele. Sai com amigos para "jogar bola", "churrascos só para homens" e ela não tem coragem de dizer não para nada. E agora com três filhos, como sair dessa se não tem emprego, nem família para apoiar. Triste ver essas coisas acontecendo.
    E o tal do "bulling" que no nosso tempo de escola, tirávamos de letra.
    Agora a garotada, só fica no celular e não entendem o que é viver .....
    Esperamos que tudo melhore!
    joturquezzamundial
    Beijos.

    E as filhas estão indo para o mesmo caminho ......

    ResponderExcluir
  6. Oi Vi, quisera todas as mulheres infelizes pudessem e tivessem meios de enfrentar seus algozes e resgatar sua dignidade, infelizmente ainda há muito de violência física e mental. Tomo a liberdade de recomendar o livro A Cidade do Sol, do Khaled Hosseini,que conta histórias de 2 jovens mulheres.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ei Pepa
    Muitas mulheres não conseguem sair desta situação de conflito, de agressão por parte do marido ou parceiro, por não terem meios econômicos para se sustentarem, preferem ficar no inferno em vida.
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Vejo muito isso, todos os dias!!! As mulheres choraram, gritam, pedem socorro e quando o socorro vem, elas descartam... Fazer o que? Só sabe o que é isso, quem passa, ou talvez nem saibam. Bom final de semana... Um xeru!

    Sandra
    http://pedacinhobysandra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Existe a Lei mas não a Justiça.
    1) denunciar homem rico e influente é o mesmo que sentenciar sua morte lentamente;
    2) denunciar homem pobre é assim: ele é preso e solto pouco tempo depois, volta e tenta matar a ex-companheira.

    Não adianta criticarem o que digo, infelizmente é fato.

    bjs

    ResponderExcluir
  10. Assunto mais que relevante, mas bem complicado. Envolve mais que tudo, emoções, que são diferentes para cada um. Somos mesmo frágeis, nesse quesito...
    Beijos, Ana

    ResponderExcluir
  11. Quando envolve denúncia é sempre mais delicado, violência doméstica, infantil, bullying. Via de regra deveríamos meter a colher sempre, sim. Mas a maioria não o faz por medo, por receio de constrangimento. Muitas vezes é sabido que a vítima não quer ajuda...
    Pra se pensar...

    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  12. Vi,
    Alem da violencia fisica, existe a psicologica. O homem pode ate pode nao agredir a mulher, mas as cobrancas violentas diarias, desestruturam qualquer ser humano. Mas, o que fazer? Se muitas mulheres nao lutam por uma vida de paz, por falta de condicoes financeiras. E, sobre os adolescentes, o que vc comentou eh a realidade. Otima postagem! Bjs e feliz noite!

    ResponderExcluir

Se você soubesse o quanto nos deixa feliz com suas palavras ,falaria mooooito mais !!!

Se você deixou um comentário e nós ainda não respondemos, não fique chateado, ás vezes demora, mas a gente chega lá !!!
Bjus 1000.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo