30 de maio de 2019

O homem que calculava - livro

Oi Girls and boys, Vi, escrevendo.. 



Queridas e queridos estava me lembrando, de como meus pais cuidavam para que lêssemos livros compatíveis com a nossa idade e que fossem interessantes a ponto de despertar o gosto pela leitura.

Meu pai lia antes todos os livros que seria destinado a nós, para ver se podíamos ler, e depois liberava.

Quando eu tinha que fazer resumo dos livros para a escola, contava com auxilio do meu pai, aprendi a fazer resumos com ele.

Um desses livros foi O homem que calculava.



Era um livro para incentivar o aprendizado da matemática, que no geral é uma matéria que poucos gostam.


É uma pena que a matemática seja tão mal compreendida, pois ela faz parte de tudo.

Eu mesma, durante minha fase escolar, só tive um professor que ensinava matemática de um modo, que todos alunos da sala conseguiam compreender e gostar da matéria.

Não é todo mundo que tem vocação para ensinar, e talvez isso influencie parte da evasão escolar.
Imagens:Pinterest
Sei que esse assunto é tabu, mas quem se propõe a ensinar, devia analisar sua vocação, porque é duro para a criança que esta em formação, cheia de fragilidades, se sentir burro porque não consegue compreender o que o professor explica.

Mas voltemos ao livro, o professor e engenheiro Julio Cesar de Mello usava o pseudônimo Malba Tahan para escrever livros voltados ao público infanto juvenil, O homem que calculava teve sua primeira edição em 1938.

A história é sobre um jovem árabe, pastor de ovelhas, que ao conhecer um amigo saem em uma viagem destino a Bagdá, no caminho surgem inúmeras situações que envolvem problemas de matemática, que ele vai resolvendo de maneira simples.


No final ele encontra uma jovem por quem se apaixona, mas seu casamento só é possível se ele solucionar um desafio matemático.

E vocês já leram esse livro ou algum outro do Malba Tahan?


Vou me despedindo de vocês


Obrigada pelo carinho e atenção..


muitos beijos..


Meu carinho para vocês:

Tchau,Vi




5 comentários:

  1. Esse livro é fabuloso e fez parte de nossas histórias!Adorei ver aqui! beijos, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  2. Oiii! Já li e ainda o tenho, porém nunca mais o reli. Na realidade, toda profissão para ser bem feita deve começar pela vocação!Fui professora por anos, minha profissão é essa, e vi tantos colegas que apenas "eram professores" porque não achavam outra coisa pra fazer! Muito triste, apesar de o professor não ser reconhecido e nem bem remunerado! Porém, vejo muitos médicos por "dinheiro", assim como outros profissionais! É triste, pois quem perde são as pessoas atendidas por esses profissionais de "araque"!

    ResponderExcluir
  3. Já li e amei! Parabéns pelo texto!
    Beijos, Ana

    ResponderExcluir
  4. Olá Vi, no meu tempo de escola, gostava de matemática e de português, não me recordo bem qual o primeiro livro, a não ser a bíblia, que li, mas lembro de um romance que adorei: Diva de José de Alencar. Um xeru!

    Sandra
    https://pedacinhobysandra.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Vi, esse eu não li, mas é realmente muito famoso e bem recomendado.
    Que legal ter tido um pai assim que participava da vida escolar, orientando.
    Eu odiava matemática no ginásio porque não compreendia,o que aprendi para fazer testes para emprego foi sozinha lendo livros de enciclopédia.
    Qdo fiz o supletivo para terminar o segundo grau é que descobri não era um bicho de sete cabeças, tinha um professor sensacional que estava lá pelo prazer de ensinar, só isso explicaria tanta paciência e boa vontade. Você tem razão, o professor é fundamental no entendimento!
    Abraço e ótimo domingo!

    ResponderExcluir

Se você soubesse o quanto nos deixa feliz com suas palavras ,falaria mooooito mais !!!

Se você deixou um comentário e nós ainda não respondemos, não fique chateado, ás vezes demora, mas a gente chega lá !!!
Bjus 1000.

Subir